Linhas de Pesquisa

A Rede de Ciências Comportamentais e Proteção do Investidor abordará preferencialmente e inicialmente as seguintes linhas de pesquisa e áreas do conhecimento:

  • Análise do comportamento do investidor

Estudar os mecanismos cognitivos e comportamentais que constituem a base de comportamentos econômicos. Em especial, visa aprofundar a compreensão das preferências e escolhas individuais, bem como investigar como o processo decisório do investidor é afetado pela interação econômica e características do ambiente regulatório. Temas provenientes da psicologia econômica, das finanças e economia comportamentais, além das neurociências, como: investigação de processos de escolha, formação de juízos e preferências em relação a comportamentos econômicos; tomadas de decisão intertemporal; e, pesquisas dos determinantes psicológicos nos comportamentos de consumo, poupança e investimento constituem foco de estudo privilegiado, embora não exclusivo.

  • Práticas econômicas e culturais no mercado de valores mobiliários

Investigar como diferentes grupos sociais simbolizam as relações econômicas e sociais. Procurar entender como o mercado de capitais é compreendido no escopo das lógicas culturais e como as dinâmicas sociais configuram os comportamentos de consumo, poupança e investimento. Temas provenientes da antropologia, psicologia e sociologia como: aspectos culturais que imprimem sentido ao investimento, ao consumo e à poupança; pesquisas compreensivas dos sentidos e das categorias empregados para pensar e atuar no mundo econômico; bem como, questões relativas a trocas, sentidos do dinheiro e práticas monetárias, significados do crédito, do investimento e da previdência constituem foco de estudo privilegiado, embora não exclusivo. 

  • Processos de ensino e aprendizagem do investidor

Buscar propor novas metodologias do ensino e da aprendizagem e estratégias didático-pedagógicas referentes ao trabalho com educação financeira. Revisitar teorias e práticas pedagógicas e sua aplicação em diferentes segmentos populacionais e no aprendizado de temas financeiros. Temas como novas tecnologias educacionais, processos de ensino e aprendizagem de conhecimentos financeiros, dificuldades/possibilidades de aprendizagem de jovens e adultos em diferentes situações socioeconômicas; formas de capacitação de multiplicadores; e, metodologias de educação à distância sobre temas financeiros; bem como avaliação de impacto e desenvolvimento de indicadores capazes de inferir mudanças no comportamento financeiro, constituem foco de estudo privilegiado, embora não exclusivos.

  • Design da informação e arquitetura de escolhas

Cada vez mais o setor público vem usando insights comportamentais para analisar problemas e projetar intervenções mais eficazes visando atingir os objetivos das políticas (por exemplo, mudando a forma como as opções são apresentadas ou definindo padrões e contextos). Esta linha de pesquisa abarca projetos sobre a aplicação destes insights na proteção do investidor de varejo, com foco em como o design de divulgação de informações (disclosure) e de interfaces online (por exemplo, aquelas utilizadas para coletar informações e perfil dos clientes ou para realizar negociações online), bem como o momento (timing) de entrega da informação influenciam as escolhas que os investidores fazem. Design de informação, nudges, arquitetura de escolha, saliência e enquadramento constituem foco de estudo privilegiado, embora não exclusivos.